quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Os perigos de emprestar o nome - Dica


Quando um amigo pede para você contratar um empréstimo em seu nome ou pede para você comprar aquele celular para ele, você acredita que ele irá pagar direitinho para não te prejudicar, afinal a confiança é tudo, certo?
Nem sempre. Às vezes, a realidade fala mais alto e, apesar do seu amigo querer te pagar, outras contas também batem à porta dele. Afinal, se ele te pediu um favor desse tipo é porque, provavelmente, já tem alguma dívida que não consegue pagar ou não consegue comprovar renda para fazer a contratação.
A verdade é que quando alguém próximo precisa de ajuda, é difícil dizer não. Mas acredite: falar não é muito importante, tanto pela pessoa que te pediu para emprestar o nome, quanto para você. Se seu amigo não conseguir pagar, é você que terá que arcar com a prestação ou, pior ainda, é o seu nome que pode parar na lista de inadimplentes.
Foi justamente o que aconteceu com a Sandra. Às vésperas do nascimento de sua filha, ela emprestou o nome para seu primo comprar uma motocicleta. Quatro meses depois, o primo ficou desempregado e parou de pagar o financiamento. Sandra começou a receber cartas de cobrança e as dívidas foram se acumulando. “A única coisa que a gente tem antes de nascer é o nome. É o que você tem de mais importante”, diz a Sandra. Essa crença a motivou a dar a volta por cima. Assista ao vídeo e conheça sua história.
Na maioria das vezes, não se trata de má fé. Mas, infelizmente, a confiança entre você e a pessoa que te pediu o nome emprestado e não pagou nunca mais será a mesma. Confira, 3 dicas para não entrar nessa fria.
  1. Quando alguém pedir que você faça uma fiança, compra ou contratação de crédito, mostre-se solidário com a situação que o outro está vivendo. Mas seja firme: explique os riscos e diga que você não pode emprestar o nome, mas talvez possa ajudar de outra maneira. Por exemplo: indicando a pessoa para algum trabalho extra no final de semana, de maneira que ela junte dinheiro para fazer o que pretende.
  1. Se você é aposentado e tem facilidade para acessar o empréstimo consignado, que tem taxas de juros mais baixas que as demais linhas de crédito, não aceite fazer a contratação para filhos, netos ou qualquer outra pessoa. A consignação é uma das principais causas do superendividamento de idosos no Brasil.
  1. Se mesmo conhecendo todos os riscos, mas mesmo assim decida emprestar seu nome, exija algum tipo de garantia – contrato feito em cartório, nota promissória, cheque pré-datado ou algum bem que possa ser penhorado para pagamento. Isso não evitará que seu nome vá parar na lista de restrição de crédito, mas você poderá entrar na justiça para tentar receber o valor da dívida caso a pessoa não pague.
Outra boa medida é monitorar seu CPF. Você pode escolher o melhor plano para o seu bolso, aqui no site do SerasaConsumidor. Caso o seu nome já tenha sido incluído na lista de inadimplentes, negocie diretamente com as empresas credoras e limpe seu nome agora.

É hora de sorrir um pouco - Veja o vídeo