quinta-feira, 16 de abril de 2015

Pixinguinha - SÉRIE - MAIORES ARTISTAS DA MÚSICA BRASILEIRA



Acompanhe diariamente novidades da página pelo Facebook 

Tende-se a reduzir a contribuição de Pixinguinha (1897-1973) ao choro – gênero no qual, de fato, deixou sua marca e introduziu instrumentos como o clarinete e o saxofone. O compositor e arranjador carioca, porém, tem participação ainda mais profunda na MPB. Foi o primeiro maestro arranjador contratado por uma gravadora, o arquiteto da estrutura das marchinhas dos anos 30 e o responsável por adaptar o conceito das big bands norte-americanas na primeira orquestra popular brasileira. Flautista e saxofonista, o prodígio autodidata gravou seus primeiros choros aos 14 anos e, ao longo da carreira, viu composições como “Carinhoso”, “Rosa” e “Lamento” se tornarem patrimônio histórico. Ramiro Zwetsch.


Composições e CIA.

Carinhoso
Rosa
Lamentos
Um a zero
Fala baixinho
Vou Vivendo
Lamento
Yaô
Ingênuo
Foi Você
Mundo melhor
Rosa - pixinguinha
A Malandragem
Eu Vou Chorar
Amar a Uma Só Mulher
Os Oito Batutas
Samba de Nêgo
Gavião Calçudo
Já Te Digo
Coisinhas
Cochichando
Me Faz Carinho
Caridade
Página de Dor
A Favela Vai Abaixo
Deixa Ela
Ai, Eu Queria
Pinião
Pesadelo
Samba Fúnebre
O Bobalhão
Meu Suquinho
Eu Quero É Nota
Eu Fui No Mato, Crioula
Eu Vou Te Abandonar
Nêga No Fogão

Acompanhe diariamente novidades da página pelo Facebook 

É hora de sorrir um pouco - Veja o vídeo