quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Homem foi rendido no aeroporto Internacional de São Luis-MA por suspeita de terrorismo. "JORNAL" MENU DA ILHA





A Policia federal e o esquadrão antibomba o mais conhecido como CABUM, foram acionados hoje pela tarde, pelo Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, pela denuncia da suspeita de terrorismo.
O passageiro estava muito desconfiado ao passar pelo detector de metais, e a operadora do equipamento percebeu que ele estava com uma espécie de acionador com um fio fino ligado a um dispositivo desconhecido, ela discretamente informou para o agente que estava dando suporte no local, onde o mesmo ligou para a policia e para o esquadrão antibomba. Em menos de cinco minutos todo perímetro vou isolado e o prédio foi evacuado sob orientações da policia. A operadora rendeu o passageiro, porém ele não obedeceu as ordens para largar o acionador que estava em sua mão. Ele disse que não queria soltar, pois a situação estava complicada para ele e que ela não  entenderia o porque da sua atitude. Quando os policiais chegaram ao local, eles perceberam que o homem estava com o botão acionado, e orientou que ele mantivesse o dedo apertando firme no botão, ele começou a apresentar instabilidade e não queria negociar com os policias. Nos dados de sua passagem com destino a Brasília, localizaram no sistema um telefone fixo que usaram para contatar possivelmente algum conhecido ou parente para ajudarem na negociação. O policial conseguiu falar com a esposa do suspeito e ela desesperadamente sem entender direito o que levará a tal ato, foi até o Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado. Quando os policiais informaram que tinha uma pessoa muito importante para vida dele no local, e que era a sua esposa, ele começou a tremer e a chorar ao mesmo tempo e disse que ela não poderia entrar para vê-lo naquele situação, mesmo assim ela entrou na sala, e logo reconheceu que o objeto que ele estava segurando, era na verdade o seu vibrador que havia desaparecido a duas semanas de uma gaveta secreta no seu closet em sua residência.

A policia chamou a operadora do detector para prestar depoimento, e explicar o motivo da não identificação do vibrador.
A esposa pediu o divorcio e o seu vibrador de volta.
O passageiro foi convidado pela empresa fabricante do vibrador para testar os seus produtos, e o seu Advogado declarou para o Jornal Menu da Ilha que ira processar o Aeroporto pelo o ocorrido.
Uma senhora desmaiou ao saber que o Aeroporto corria risco de explosão, e foi levada para cuidados médicos no Socorrão ll, e já passa bem.
O voos já foram liberados.
DAVI M. S. - MENU DA ILHA


É hora de sorrir um pouco - Veja o vídeo